Pular para o conteúdo principal

Como estudar para concurso público e ser mãe de crianças pequenas?

Estou estudando para concursos públicos e já mencionei isso no post misterioso da semana passada. É a primeira vez que encaro os estudos com a certeza do que quero para mim. Antes pensava que concurso público era apenas mais uma possibilidade dentre abrir o meu próprio negócio ou tocar a empresa da família. A decisão veio após alguns anos de indecisão e consequente sofrimento. Eu tenho uma necessidade ímpar de saber o que vem depois. Essa incerteza, essa falta de desejo no âmbito profissional me incomodava profundamente desde que conclui a faculdade. Sempre criei bloqueios e dificuldades para iniciar os estudos. Na verdade o cargo público só me parecia inatingível porque o caminho para alcançá-lo estava nos livros. Primeiro parecia impossível conciliar faculdade, filha (Júlia) e concursos. Depois ficou ainda mais difícil conciliar trabalho, filha e concursos. Por fim, conciliar trabalho, filhas (Júlia e Joana), casa, marido e concursos era para heroínas. O que me faltava não era tempo, faltava interesse. Vontade. Desejo. Sonho. Eu disse faltava. É fato que conciliar tantos papéis e tantos afazeres não é fácil. Mas é possível. Vou contar o que tem dado certo para mim.

- rede de apoio: eu tenho a minha mãe, mas poderia ser uma tia, uma amiga, o marido ou qualquer outra pessoa de sua confiança que possa ficar com as crianças em algum período do dia para que você possa estudar com a cabeça tranquila (isso vale para o período de férias ou aos finais de semana ou no caso da criança ainda não frequentar a escola);

- organização: antes de sentar para estudar, eu planejo qual será a matéria, o assunto e delimito dentro do espaço de tempo que terei disponível. Se você trabalha aproveite para estudar depois que as crianças dormirem;

- vídeo-aulas: essa foi a grande descoberta para mim! Atualmente tem sido inviável frequentar cursinhos presenciais, mas eles são fundamentais para quem está estudando para concursos. Vídeo-aulas são excelentes porque você pode estudar no horário que for possível e pelo tempo que quiser. Às vezes assisto a uma aula durante uma soneca da Joana. Sem falar que não tem nada melhor do que poder pausar ou voltar quantas vezes quiser a fala do professor (viciei!);

- motivação: lembre-se sempre do que fez você decidir por prestar concursos públicos. Eu tenho utilizado pensamentos positivos, mensagens de incentivo e imagens que me fazem manter focada no meu objetivo. As crianças são ótimas razões para se passar num concurso público!

É isso! Bons estudos!! :-)

Comentários

  1. Estou torcendo por vc querida....boas dicas essas.....bjus

    ResponderExcluir
  2. Oi Fabiana! Tenha certeza de que serás um exemplo e fonte de inspiração para muitas mães! Tem muita gente sentindo tudo isso que vc descreveu! Parabéns pela iniciativa! Vocfê, certamente, colherá os frutos muito em breve!
    Eu já sou concursada e mãe de uma menina, mas almejo um outro cargo público. Quero fazer um "up grade" no meu! rsrsrs! Estou me programando para voltar a estudar e me interessei muito pelas video aulas que você mencionou. Pode me dar a dica? Vc as encontra na web de graça ou compra em algum portal específico?!?!?
    Bjs e sucesso para você!
    Carol

    ResponderExcluir
  3. Fabi, sim, seu presente agradou MUITO! É nossa dose diária de alegria, obrigada mais uma vez!
    Tô torcendo por vc, sei que esta fase não é nada fácil, mas vc tem superado outros desafios diariamente e irá superar mais este!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Eu sou concursada, mas nunca fui concurseira. rs
    Desejo bons estudos, perseverança e sucesso!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns!! acho que o mental funciona muito. Estar motivada, e estabelecer regras e disciplina ajudam!
    Confesso que ultimamente não penso em me concentrar, até dá medo!!
    Mas já estudei uma época, o meu de 8 tinha menos de 2 anos, e criei um sistema, creche, empregada. A parte dificil era que eu queria as vezes estudar nos fins de semana, e o pai do Gabriel não judava em nada, aliás esse virou unm dos motivos da minha separação. Eu queria melhorar nossa vida, e ele queria curtir, descansar.

    Bjs!!

    ResponderExcluir
  6. lindo blog,amei!! sou nova nessa área e resolvi criar um cantinho falando da minha rotina como mamãe e os estudos p concurso... aguardo sua visita, bjks lili*

    ResponderExcluir
  7. Olá Fabiana, eu estou na mesma situação que vc, tenho dois meninos pequenos, e já faz 6 anos que terminei a faculdade, e sonho para mim muito mais do que o cargo que tenho hoje.`´E muito difícil, e digo que até janiero deste anos eu não consegui, tentei, tentei, mas não consegui estudar, pq meu fiolho mais novo não deixava, ams agora que ele fez tres anos, começou a ficar mais idependente e eu tb comprei vide-aulas, e estou estudando. Tem dias que não consgigo estudar nada, tem dias que consigo estudar pouco e tem dias que rende, mas eu nunca desisto.
    Não consigo estudar depois que eles dormem, pq eles não são de dormir muito, e seu eu estudar enquanto eles dormem, eu nunca durmo, mas tento achar atividades para eles fazerem enquanto eu estudo.
    O importante é nunca desistir, e fazer tudo a seu tempo.
    Força.
    Viviani

    ResponderExcluir
  8. Muito bom o texto! Eu sinceramente acho que a motivação é simplesmente a etapa mais preciosa e é fundamental. Com motivação você é capaz de tudo! Parabéns pela postagem, abraço!

    ResponderExcluir
  9. Olá Fabiana, parabéns pela iniciativa e digo mais, estamos juntas.
    Tenho um filho pequeno também de 4 anos que está se ajustando a escola integral justamente para eu voltar a estudar. Porém não tenho faculdade, e minha família sempre incentiva a fazer os concursos de nível médio, mas creio que não terei tempo mesmo para fazer uma faculdade caso passe em um, pq seria jornada quádrupla: trabalho, casa filho e estudo. Não tenho urgência em trabalhar pq meu marido leva a casa e a gente de boa. O que vc me aconselharia: começar os concursos de nível médio com salários maiores, pq não terei como fazer faculdade depois e galgar um salário melhor, ou fazer faculdade e ter a possibilidade de prestar concurso nos dois níveis? Obrigada.

    ResponderExcluir
  10. Me encontro na sua pele, com os mesmo desafios e sua vivência, sua determinação está me motivando a não desistir. Obrigada por compartilhar esse seu momento e mostrar para a mamaes como vc q nada é impossível no mundo dos concursos. Parabéns e vamos em frente!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Diz o que achou, conte da sua experiência.
Comenta! Suas palavras me inspiram...

Postagens mais visitadas deste blog

Parto da Jade

Passei a gestação inteira dizendo que ela chegaria no mês de julho. Estratégia para aplacar a ansiedade alheia, já que doce espera sempre teve mais a ver com puta agonia pra mim. Não vou mentir, parece piada, mas não consigo curtir gravidez. Passo muito mal no início, depois fico mega prostrada, minha irritabilidade alcança níveis desumanos (pergunta lá pro marido!) e, por fim, engordo absurdamente. Não vejo graça. Lógico que tem o lado bom da coisa. Cabelos sedosos, filas preferenciais e, claro, o bebê que tá lá dentro. Quando os chutes não miram suas costelas, posso garantir, não há melhor sensação no planeta.
A DPP (data prevista pro parto), dia em que a gestação alcança 40 semanas, era 27 de junho. Eu tinha toda a fé do mundo que ela chegaria bem antes disso. Era tanto cansaço que rolava, uma impaciência tão grande da minha pessoa, que o bebê obviamente desejaria sair logo dali. Ambiente desfavorável. E eu conversava incansavelmente com a barriga sobre as vantagens de se viver aqui…

O parto dos gêmeos - Parte 3 (final)

Depois de finalizar a burocracia da internação, fomos finalmente para o quarto onde ficamos acompanhando as contrações que estavam mais ou menos de 3 em 3 minutos. E assim seguiram até 5h da manhã quando tive uma parada de progressão. Parou. Tudo. Eu não sentia mais absolutamente nada. Lembro-me bem do medo. Medo de chegar até ali e acabar morrendo na praia. Eu estava então com 5 cm de dilatação. Voltar para casa não era mais possível. "- Só sairemos desse hospital com os bebês nos braços.", falou Dra. Caren. Juan ficou super ansioso com isso! Eu e Taíza começamos a caminhar pelo hospital, subimos e descemos as escadas. Todos olhavam para nós. Eu devia ser a maluca do parto normal de gêmeos. Chamamos uma acunpunturista para fazer uma sessão de indução. Taíza deu uma saída para preparar um chá especial pra mim, tomar um banho e trazer mais óleo de rícino pra eu tomar. E nada acontecia. Eu não sentia mais nada.




Já por volta das 15h30 do dia 18/09, após 10h esperando o retorno d…

Eu sou gorda?

Eu nem sei quantas vezes devo ter feito essa pergunta à minha mãe. Nem sei se a fiz um dia. Lembro de me olhar no espelho e ter uma única certeza... eu era gorda. Aliás, era essa a única forma de me magoar com palavras (e meus irmãos sabiam bem disso, valeu galera!!). Já fiz dietas loucas, já fiquei sem comer para compensar, já chorei litros porque o espelho era mau comigo. Sofri horrores a minha infância inteira por conta da barriga. Minhas amigas sempre eram baixinhas e magrinhas... eu sempre fui grande, larga, forte. Vendo as fotos antigas nem me acho gorda. Cheinha, talvez. Mas o bullying (agora que tem nome bonito não vou deixar de usar) sofrido por anos deixou marcas que me acompanham e ainda me assombram.
Depois que me tornei mãe da Júlia meu maior medo era que ela passasse pelo o que passei.
Com 1 mês e meio de vida Júlia começou a tomar complemento, pois eu não tinha leite (e nem informação) suficiente. Ela rapidamente ganhou peso e desde então sua barriguinha se mostrou salien…