Pular para o conteúdo principal

As primeiras 24 horas com fraldas laváveis

Imagem retirada do Google Imagens
Fiquei MUITO feliz quando elas chegaram! Eu estava há muito tempo querendo aderir às fraldas laváveis... mas demorei uns 4 meses para fazer do desejo realidade. Isso porque tinha medo de gastar dinheiro que não tenho com algo que não desse certo. Pesquisei, pesquisei, conversei, conversei... fiz questão de conhecer marcas nacionais antes de apelar para as "gringa" (até porque achava que sairia mais barato... ledo engano!) para dar uma força ao que é nosso, feito por gente como a gente!rs Mas no final das contas acabava sempre ouvindo a mesma coisa... que a BumGenius era uma das melhores... que não vazava nada. Bom, como o que é good nós num have ($$$) resolvi fazer o investimento na marca que se mostrava garantia de sucesso.

As primeiras 24 horas não poderiam ter sido melhores! Sucesso TOTAL! 

Não tive problemas para ajustar o tamanho da fralda na Joana. Esse modelo que comprei (4.0) é One Size, ou seja, vai do bebê recém-nascido até os seus 16kg. Joaninha já deve estar com uns 10kg, pois já usa a fralda no último tamanho! O recheio é fácil de colocar e como ela vem com um recheio para recém-nascidos também eu tenho colocado este por cima do bolso. Assim posso trocar só o recheio de fora, pelo menos uma vez (se não for xixi demaaaais) e estender o tempo de uso de uma mesma fralda. Durante o dia, ontem, utilizei 3 fraldas no total. À noite usei uma fralda com dois recheios grandes dentro do bolso. Ela ficou umas doze horas com a fralda, fez cocô de manhã e a fralda NÃO VAZOU! 

Pronto! Bastou para que eu virasse fã! Não imaginava uma adaptação tão rápida! Estou feliz da vida de já estar 24 horas sem jogar uma fralda descartável sequer no lixo! Valeu o investimento!! O meio ambiente e o bumbum da minha filha agradecem! 

E eu agradeço à Carol Pombo, à Luíza Diener e às outras mamis usuárias de fralda de pano que me ajudaram muito com suas experiências e informações. Todas foram fundamentais nesse processo! Agradeço - em especial - à minha amiga Diana que trouxe as fraldas dos EUA pra mim! Miss D. luv u!!

Comentários

  1. Rosa Naomi Levi de Lopes31 de julho de 2011 09:48

    Fabiana, eu vou fazer esse investimento também aos poucos, mas vou. Acho que o primeiro mês no meu caso é inevitável passar pela descartável, o que me dá um tempo pra ir experimentando. Seu depoimento me deu uma injeção de ânimo, só senti falta da questão dos cuidados higiênicos com a fralda; é prática pra secar na máquina, a mancha de cocô foi fácil de sair (?).
     Se bem que essas informações não me impedirão de entrar nessa, sabe?, optar por um produto mais duradouro compensa o capital investido e se tem qualidade esse é o caminho.
    Bj e parabéns pelo sucesso!!

    ResponderExcluir
  2. Que bom, Fabi, é bem mais simples do que parece, né? E vaza bem menos!! Considero um ótimo investimento.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Flavia Rosa Costa31 de julho de 2011 16:34

    AAAAiiiiiii, será que tenho coragem???? E depois, para lavar????

    ResponderExcluir
  4. Ai, que legal!!! E como é o processo de limpeza?
    Dá pra ficar 12 horas com uma fralda só? Não assa?
    Dá pra por fotos dos "recheios"? Fiquei curiosa :-)

    Beijo!
    Karen
    http://multiplicado-por-dois.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Que inveja!
    Quando eu for grande (ou quando tiver mais filhos), eu quero ser como você!!!
    Minha musa!!! Uhuuu!

    Aproveito para convidar: nessa semana, tem MAMARAZZI WEEK, lá no Diário!
    É bem simples: 1 foto por dia, da mamãe COM o filhote, e você publica tudo na sexta (ou uma por dia). E fica com lindas recordações com o seu filho pra sempre!!! Porque a gente sempre TIRA a foto e nunca sai na foto, não é mesmo??? Então, é uma campanha para termos mais recordações com os nossos pequenos.

    Participa com a gente?
    Bjos e bençãos.Miryswww.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Fabiana! Parabéns pela iniciativa, eu também adoro fraldas de pano, apesar de não conseguir usar em todas as estações, já que aqui chove MUITO... e as roupas não secam nunca... Mas enfim, quando consigo usar sinto também um alívio tremendo de ver o lixo vazio, sem fraldas nenhuma...

    Também gostaria de aproveitar e agradecer seu comentário lá no blog, viu? Muito obrigada pelo carinho!

    Beijos,

    Lu

    ResponderExcluir
  7. Rosa, estou preparando um post com mais detalhes... e com as experiências de primeiras lavagens! Aguarde!!

    Mas já te adianto... SUPER vale a pena! Quisera eu ter começando mais cedo... bem mais cedo!

    ResponderExcluir
  8. Nossa, Paloma! Ninguém tinha me dito que é BEM MELHOR que as descartáveis! Tô besta e feliz da vida!! Obrigada pelo estímulo! :-)

    ResponderExcluir
  9. Oi!!!
    Quero te convidar pra participar de um sorteio no meu blog. O prêmio é um kit de produtos para bebês da MAM oferecido pela Rozenlandia Baby. Te espero!!!
    Um abraço, 
    Maura, mamãe da Sophia

    ResponderExcluir
  10. Acho mto legal, mas vou fazer uma confissão ecologicamente "incorreta" total: adoro a praticidade das descartáveis.
    Bjoss!

    ResponderExcluir
  11. Vamos ver se dessa vez consigo comentar aqui... é dificil demais.... hihihi
    Quando comprei o enxoval do Davi nos EUA comprei 18 fraldas da bumgenius pois tinha na cabeça a intenção de ser ecológica (e elas são lindas e foram aprovadas pela minha cunhada), mas até agora não usei (6 semanas). È tanta fralda que vai para o lixo por dia que eu acho que eu não daria conta de mais essa tarefa - lavar fraldas... Aiiiii
     
    www.claraviegasmiranda.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Ana, eu também achava que teria trabalho... mas estou impressionada em como está tranquilo lidar com a rotina das novas fraldas! Fácil mesmo!! Experimenta.... e se achar trabalheira demais espera o Davi ficar maiorzinho. Eu fico triste de ter começado tão tarde... 
    Sucesso pra vcs!!!

    ResponderExcluir
  13. Cin, tenho me surpreendido com as fraldas de pano! Juro... não dá trabalho como as de antigamente... nem de perto!! E não vazam por nada! Incrível!! Tô adorando isso!

    ResponderExcluir
  14. Lu, uma pena esse tempo frio que não seca as roupas! :-(
    Aqui na secura do cerrado da noite pro dia o varal tá seco, seco...E volte sempre por aqui também!!! Adorei sua visita! 

    ResponderExcluir
  15. kkkkkkkk olha quem fala!!! Eu que me inspiro com vc... SEMPRE!
    E tô devendo minhas participações, né?? Enrolada que só eu... vergonha!
    Beijos querida!

    ResponderExcluir
  16. Próximo post!! Prometo! :-)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Diz o que achou, conte da sua experiência.
Comenta! Suas palavras me inspiram...

Postagens mais visitadas deste blog

Parto da Jade

Passei a gestação inteira dizendo que ela chegaria no mês de julho. Estratégia para aplacar a ansiedade alheia, já que doce espera sempre teve mais a ver com puta agonia pra mim. Não vou mentir, parece piada, mas não consigo curtir gravidez. Passo muito mal no início, depois fico mega prostrada, minha irritabilidade alcança níveis desumanos (pergunta lá pro marido!) e, por fim, engordo absurdamente. Não vejo graça. Lógico que tem o lado bom da coisa. Cabelos sedosos, filas preferenciais e, claro, o bebê que tá lá dentro. Quando os chutes não miram suas costelas, posso garantir, não há melhor sensação no planeta.
A DPP (data prevista pro parto), dia em que a gestação alcança 40 semanas, era 27 de junho. Eu tinha toda a fé do mundo que ela chegaria bem antes disso. Era tanto cansaço que rolava, uma impaciência tão grande da minha pessoa, que o bebê obviamente desejaria sair logo dali. Ambiente desfavorável. E eu conversava incansavelmente com a barriga sobre as vantagens de se viver aqui…

O parto dos gêmeos - Parte 3 (final)

Depois de finalizar a burocracia da internação, fomos finalmente para o quarto onde ficamos acompanhando as contrações que estavam mais ou menos de 3 em 3 minutos. E assim seguiram até 5h da manhã quando tive uma parada de progressão. Parou. Tudo. Eu não sentia mais absolutamente nada. Lembro-me bem do medo. Medo de chegar até ali e acabar morrendo na praia. Eu estava então com 5 cm de dilatação. Voltar para casa não era mais possível. "- Só sairemos desse hospital com os bebês nos braços.", falou Dra. Caren. Juan ficou super ansioso com isso! Eu e Taíza começamos a caminhar pelo hospital, subimos e descemos as escadas. Todos olhavam para nós. Eu devia ser a maluca do parto normal de gêmeos. Chamamos uma acunpunturista para fazer uma sessão de indução. Taíza deu uma saída para preparar um chá especial pra mim, tomar um banho e trazer mais óleo de rícino pra eu tomar. E nada acontecia. Eu não sentia mais nada.




Já por volta das 15h30 do dia 18/09, após 10h esperando o retorno d…

Eu sou gorda?

Eu nem sei quantas vezes devo ter feito essa pergunta à minha mãe. Nem sei se a fiz um dia. Lembro de me olhar no espelho e ter uma única certeza... eu era gorda. Aliás, era essa a única forma de me magoar com palavras (e meus irmãos sabiam bem disso, valeu galera!!). Já fiz dietas loucas, já fiquei sem comer para compensar, já chorei litros porque o espelho era mau comigo. Sofri horrores a minha infância inteira por conta da barriga. Minhas amigas sempre eram baixinhas e magrinhas... eu sempre fui grande, larga, forte. Vendo as fotos antigas nem me acho gorda. Cheinha, talvez. Mas o bullying (agora que tem nome bonito não vou deixar de usar) sofrido por anos deixou marcas que me acompanham e ainda me assombram.
Depois que me tornei mãe da Júlia meu maior medo era que ela passasse pelo o que passei.
Com 1 mês e meio de vida Júlia começou a tomar complemento, pois eu não tinha leite (e nem informação) suficiente. Ela rapidamente ganhou peso e desde então sua barriguinha se mostrou salien…